Eu lí no post de um Blog que eu adoro o http://www.rodandopelomundo.com o seguinte texto do autor Royston Ellis.:
“As ilhas dos sonhadores, dos românticos e dos amantes das praias que são como pérolas esplendentes em um mar cor turquesa. As Maldivas são uma destinação sinônimo de sol, tranquilidade, momentos de absoluto relax, snorkeling nas lagoas transparentes e imersão desvendando as barreiras coralinas. Assumem apropriadamente a idéia de paraíso…” 
A primeira coisa que me veio em mente ao ler esse texto, foi a vontade enorme de voltar lá: essa foi a viagem dos nossos sonhos. A segunda coisa que eu pensei foi que o autor com certeza não viajou ao paraiso com crianças, muito menos com uma de um ano e meio ;o) As ilhas Maldivas são sem dúvida alguma  o paraiso aqui na terra, são fantásticas e inigualáveis. Mas um lugar de absoluto relax? Romanstismo? Hm… quem é mãe e pai sabe que as coisas não são bem assim viajando com os pequenos. Mas vamos começar do começo e aqui conto para vocês como foi viajar ao paraiso com mala, cuia, filho e buggy. 
Era agora ou nunca. O nosso filho tinha um ano e meio e como se sabe crianças abaixo de dois anos pagam uma taxa mínima para viajar com os pais para vários destinos. Assim também para o nosso sonhado destino: as Ilhas Maldivas que ficam no Ocenão Índico. 
Depois de esperar uns minutos na agência de viagens em Zurique, nosso ponto de partida para essa viagem, eu fui atendida por um agente muito simpático. “A senhora já escolheu a ilha que quer visitar?” “Ainda não, mas eu gostaria de ir à uma que não fique muito perto da capital e que seja grande o suficiente para eu poder passear com o meu carrinho de bebê. Meu filho tem um ano e meio”. Ele sorri e me explica ainda bem simpático que as Ilhas Maldivas e um carrinho de bebê não combinam muito bem. Se tem uma coisa que eu aprendi nesses anos de viajante é não discutir muito com os agentes de viagens. Volto para casa com um monte de catálogos, pesquiso na internet por horas e horas e como eu estou decidida à levar o meu carrinho sim senhor (meu filho adormece maravilhosamente bem dentro dele), eu escolho a ilha Kuredu. Ela é grande  (com 1.500 metros x 300 metros) o suficiente para se passear com um carrinho, é longe da capital, tem um médico de plantão e tem lugares ótimos para se praticar snorkeling. Kuredu aí vamos nós.
Quelle: http://www.maldivesjobcorp.com
  
Fazer as malas fica fácil:
  • De sapatos não precisamos de quase nenhum, já que a ilha é um lugar “pés descalcos” ou seja você anda o tempo todo sem sapatos. Fantástico!
  • Roupas de banho
  • Protetor solar 50+ 
  • Uns brinquedinhos
  • Muito mingau e leite em pó, se seu filho comer essas gororobas, suficientes para 3 semanas, apesar de que, passamos somente duas. Pode ser que a “cria” não goste da comida local e para você coseguir qualquer coisa extra aqui no paraiso ou aqui no fim do mundo (definição que vai variar de acordo do seu humor na hora) fica um pouquinho difícil. O nosso filho estava na fase de comer laranja e foi uma verdadeira novela conseguir algumas.
  • Câmera para fotos submersas
  • Livros
  • E claro o carrinho de bebê que não pode faltar. Ele deve ser o mais leve possível!

 

O Kuredu Island Resort fica no Lhaviyani atoll que é uma área bem conhecida pela sua abundância de peixes e corais. e que fazem da ilha o lugar perfeito para snorkeling. 
 
A ilha fica à cerca 40 minutos de  Malé, a capital, viajando com um hidroavião. Procure sentar em um lugar na janela, porque a vista é simplesmente fantástica! 
 
 
 
Eu aconselho levar um “oropax” ou “tapa-ouvidos” (como na fotos em amarelo) para todos, porque os motores são extremamente barulhentos.

 

 

O Resort oferece nove tipos diferentes de acomodações, entre elas bungalows com e sem banheira de hidromassagem, vilas com piscinas, vilas sob a àgua ou em inglês water villas (por motivos de seguranca é vedada a hospedagem de crianças) e bungalows mais simples. Aqui você encontra a lista completa das opções: 
 http://www.kuredu.com/accommodation/kuredu_island_maldives_accommodation.aspx
Nós optamos pelo bungalow “Koama Jacuzzi Beach Villa” e pedimos na hora de fazer a reserva para não ficarmos muito perto do pier, onde os hidroavioes pousam duas vezes ao dia. Ficamos muito satisfeitos com a escolha. 
Bonthi Restaurant: http://www.kuredu.com/wine_dine/kuredu_island_restaurants.aspx
O nosso pacote era um “all inclusive”: não deixe de perguntar na hora de reservar o que o seu pacote incluí para não ter surpresas desagradáveis.
Para quem quer passar umas horas românticas, pode alugar uma cabana particular

 

Lojinhas, academia pequena, piscina e restaurante à noite

 

Caminho ótimo para passear com o buggy

 

Passeio de barco para conhecer outras ilhas
Water Villas por dentro e por fora. Chiquérrimo!
No paraíso também chove de vez em quando. Nós fomos no mês de setembro
Felizes de voltar para casa também :o)
Viajar para as Ilhas Maldivas é com sonho e uma aventura que vale demais a pena, com ou sem criança pequena. Como diz o autor Royston Ellis em um outro trecho do seu texto “Depois de ter visitado as Maldivas, nada parecerá como antes.” E é verdade!

Beijos para todos 

Informações mais detalhadas sobre a cultura, religião etc.:

A homepage de Kuredu:
O site oficial das Ilhas Maldivas:
TripAdvisor:
Mais fotos: