Ele é pequeno, rosa, de lã e muito bem viajado: o Häkelschwein – Porquinho de crochê.

Alguns dizem que o Twitter tenha sido inventado apenas para o porquinho rosa. Outros dizem que sem o porco, o Tweeter não faz sentido algum. Uma coisa é certa: em 2006, quando o Twitter foi lançado, o porquinho já existia há muito tempo. Mas famoso mesmo ele ficou através de seus tweets, vindos nesse meio tempo do mundo inteiro.

O bichinho tem 7 x 4 centímetros de altura e é um personagem fictício na Internet. Por trás disso, não existe nenhuma empresa de brinquedos, nem editora, nem estúdio. Apenas Michael Budde de Göttingen na Alemanha e sua avó Frieda, uma mulher de 98 anos de idade.

O culto se originou de um acidente: Um dia, há onze anos atrás, o neto trouxe um porco de crochê de um bazar. Sua avó gostou do animal, mas achou que poderia ser feito melhor. Então ela pegou a lã e fez um bichinho novo “com belas proporções”, como seu neto conta e o presenteou. O resto é história!
Nesse meio tempo, 15 mil porquinhos já foram vendidos, todos feitos pela vovó Frieda. Uma vez com o bichinho em mãos, os proprietários o levam para restaurante, viagens, tiram fotos dele para logo depois posta-las no Tweeter.  As fotos mostram o porco sentado na Grande Muralha ou visitando as Cataratas do Iguaçu.
Eu tenho grande admiração por pessoas criativas e ainda mais por pessoas da terceira idade como Frieda, para quem a idade é somente um mero detalhe!
Fotos: Christine und Rainer, publicadas no site haekelschwein.de/fotos.htm

Brasileiros Mundo Afora