Tratando-se de futebol, eu sou extremamente patriota. Durante um mês, a cada quatro anos, quando o futebol me oferece a oportunidade de gritar horrores e até mesmo xingar se for preciso, em um país que é extremamente silencioso, sem acharem que estou louca.

Outro dia, uma amiga que passava as férias no sul da Alemanha me ligou dizendo “Não sei se vou aguentar.” Eu: “O frio?” Ela: “Não, o silêncio. Não sei se vou aguentar tanto silêncio!”

Então, já não sei bem ao certo se é só mesmo patriotismo que me “ataca” quando o Brasil joga futebol ou se é também a necessidade incubada de extravasar, de falar alto e gritar. Fato é, que tratando-se de futebol, não existe pra mim nem parente (alemão), nem marido (imagine só o clima no jogo Brasil-Alemanha). Afinal, futebol é futebol. Sobre as coisas importantes da vida, conversamos depois.

Exceto na Copa do Mundo, eu pouco me interesso por futebol. Até mesmo porque me sentiria estranha xingando um goleiro alemão que deixou a bola entrar no gol ou dando palpite am voz muita alta sobre a estratégia do treinador X. Apesar disso, me vi ontem na frente da televisão, assitindo uma final histórica da Champios League, em que dois times alemães depois de derrotarem o Real Madrid e o FC Barcelona (!!!), disputavam o primeiro lugar no campeonato mais acirrado da Europa. Assisti o jogo inteiro, comentei (baixinho) alguns lances e até fiquei um pouco triste quando o time Borussia Dortmund perdeu. Tudo por causa de um homem alemão, que não é o meu marido, e se chama Jürgen Klopp.

Jürgen Klopp é o superstar entre os treinadores dos times alemães. Não por ter a pinta de modelo do treinador Pep Guardiola, nem por ter a experiência de Jupp Heynckes. Mas ele é uma dessas personalidades que fascinam, até mesmo uma fã temporaria de futebol como eu.

A carreira de Jürgen Klopp e seus sucessos são surpreendentes. Mas eu não me interesso  muito por números, taças ganhas e fatos sobre as estratégias “futebolescas” usadas. O interesante de Jürgen Klopp pra mim, é o homem atrás do treinador. É o que ele tem a dizer e o que ele pratica. Estas são as minhas frases preferidas de Jürgen Klopp e algumas lições que tirei pra mim:

Eu sou apenas um otimista. Meu lema sempre foi o de fazer as coisas de forma positiva e a minha receita foi nunca desistir.”

“A fascinacão do futebol é que você sempre pode ganhar o jogo, não importa quão bom seja o adersário.”

“Eu acredito que otimismo só funciona quando está ligado não só com esperança, mas com um desafio a si mesmo: se eu acredito que eu posso vencer, então eu preciso encontrar uma maneira de fazer isso.”

Não concentre-se nas suas fraquezas e sim nos seus pontos fortes. Descubra os seus pontos fortes e o que você pode controlar, para concentrar os seus melhores esforços nesses pontos e liberar o resto. Não se deixe dominar por incertezas.”

Não se leve tão a sério.”

“Para todos nós: grandes coisas ainda estão por vir, portanto é importante não deixar que o fogo se apague.”

2014 está bem aí! Vou poder gritar à beça novamente. Até lá vou tentar me concentrar nos meus pontos fortes e não deixar o fogo apagar!
Grandes coisas ainda estão por vir? Então vamos em frente!

Bjs

Claudia

Fotos: www.sueddeutsche.de  | Arquivo pessoal | Claudia Bömmels