Existem dias como ontem em que as ideias aparecem do nada, os textos fluem, a criatividade desabrocha. E existem dias como hoje, em que  penso demais, nada flui e a criatividade deixa a desejar. Em dias assim, aproveito para “surfar” por aí (ainda se usa essa expressão?) e hoje em uma dessas voltas, encontrei o seguinte texto de Joseph Epstein, autor do livro Friendship, an Expose:

“Eu sinto às vezes a necessidade de consumir cartões comemorativos nos quais pudesse ler “Fomos amigos por muito tempo” e na página interna “O que você me diz de encerrar essa amizade?”

Quem é expatriado, certamente já vivenciou que algumas amizades antigas não sobrevivem à distância e ao tempo. Assim como fez amizades novas, que nem sempre preencheram o vazio que ficou. Viver longe de casa é um desafio em vários sentidos e significa começar muitas coisas do zero, também as amizades.

Se tal cartão existisse, escreve Hannah Pool no THE GUARDIAN, quantos de nós realmente o enviaria para alguém? E se você recebesse o cartão, o que iria pensar? O ponto crucial é se você escolhe informar o amigo do que está ocorrendo ou apenas evita a pessoa até ela se dar conta (…) deixando a amizade ir se desidratando.

Na minha opinião, demitir um amigo, como se diz aqui na Alemanha, requer coragem, honestidade e lealdade até mesmo na hora de dizer adeus. Os alemães tem uma qualidade que é igualmente um grande defeito: a honestidade extrema. Nós brasileiros temos uma grande qualidade que é igualmente um grande defeito: dar um jeitinho pra tudo.

Talvez existam soluções mais elegantes e criativas para se dispensar um grande amigo que não cabe mais na sua vida, do que simplesmente dizer “não quero mais”. Mas no que diz respeito à todos os assuntos do coração e me colocando no papel de “demitido”, que fica completamente sem entender a situação, eu particularmente prefiro o rompimento rápido ao lento desintegrar. Como já dizia Mário Quintana: “A indiferença é a maneira mais polida de desprezar alguém.”.

Mas cada caso é um caso…

Amanha é um novo dia. Ensolarado, criativo e mais alegre. Prometo!
Bjs
Claudia