Hoje eu lí um artigo sobre piolhos na revista alemã Spiegel Online. E se eles escrevem sobre o assunto é porque o negócio é sério!

Piolhos! Bichinho que eu já nem me lembrava mais que exisita, até meus filhos ano passado trazerem esses “convidados” para casa.

Quando eu era criança, eu não me lembro do assunto piolho ser um tabu. Estava com piolho? Neocide neles (hoje em dia isso com certeza dá cadeia ;o))). Não raramente se via mães, tias, avós catando a piolhada da cabeça da pimpolhada. Porque no Brasil se sabe: só se dá fim nessa praga catando as lêndeas também! O alemão não sabe disso não? Nem sempre.

Como eu já estou muito tempo fora do Brasil, não sei o que se usa hoje em dia contra esses bichinhos persistentes ou se nesse meio tempo, piolho virou assunto tabu também. Certo é, que aqui na Alemanha  falar de piolho é quase como falar do passado escuro alemão.

Pediculus humanus capitis é um dos mais antigos inimigos da humanidade. O piolho de cabeça seria com  inteligência, bom senso e coerência  fácil de derrotar. Mas quando se trata do bichinho mais chato que existe, falta tudo isso. Da parte dos pais e dos educadores.

O piolho é um mestre da camuflagem: seus ovos minúsculos escondido ficam perto do couro cabeludo Se o o anfitrião tem cabelo escuro, muitas vezes, o piolho é escuro também. Eles não são invencíveis, mas os alemães tem MUITA vergonha de dizer e admitir que o filho pegou piolho. E aqui começa o dilema. Se todos os pais e os educadores fossem mais concientizados, o pediculus humanus capitis, provavelmente teria dado o seu último suspiro já faz tempo.

Ano passado os meus filhos pegaram piolho. MUITOS piolhos. Já está coçando a sua cabeça só de ler esse texto? Imagine como eu fiquei! Neocid (bendito!) não se usa por aqui e assim gastei horrores com shampoos especiais, pente fino que custam 10 euros e no final das contas alguns outros venenos próprios. Acho que eu já tinha dado fim no zoológico faz tempo, mas eu fiquei meioparanóica. Que peste!

Falando em peste: o que muitos não sabem e por isso escrevo hoje aqui, principalmente para as mães que moram na Alemanha: quem não faz uma notificação sobre a  infestação de piolhos nos filhos por exemplo, viola a lei. Os pais, nos termos do artigo 34, parágrafo 5º da Lei de Proteção de Infecção, são obrigados à notificar a escola, creche, maternal que seu filho visita, mesmo depois do tratamento iniciado. Aqui, o piolho de cabeça está no mesmo patamar da peste, cólera e tuberculose.  

O que soa como um exagero, é uma medida de proteção: de acordo com estudos recentes, a peste da Idade Média se espalhou  não através da pulga do rato, mas através das cabeça e piolhos.

Animais de pelúcia presos em freezers é desnecessário

Acompanhados pelas lágrimas dos filhos, os pais desesperados, muitas vezes colocam os inúmeros animais de pelúcia (não tem lugar para todos!) em freezers, cozinhando a roupa de cama e para ter certeza absoluta também as cortinas e perdem inúmeras horas fazendo esse trabalho indigesto.  Comigo não foi diferente. Mas os especialistas dizem que nada disso é necessário.  Eles dizem que o piolho é altamente consciente de que deve ficar na cabeça se não irá morrer! Mas por via das dúvidas…

Todos devem unir-se na luta

O Instituto Robert Koch recomenda:

  • Que pentes, escovas de cabelo, grampos de cabelo devem ser  limpos com água quente e sabão;
  • Mudar pijamas, lençóis, toalhas e roupas íntimas, chapéus e lenços durante três dias e armazená-los em um saco plástico. (eu lavei sempre tudo!);
  • Utilizar um pente de piolhos e shampoos especializados e controlar as cabeças várias vezes!


“Quando uma pessoa tem piolhos, até mesmo seus amigos e parentes próximos ficam aflitos com medo de pegar os bichos também. Mas somente quando realmente todas as pessoas que entraram em contato com a criança ‘infectada’ forem informadas e devidamente examinadas, a luta contra o Pediculus humanus capitis poderá ser vencida. Conhecimento é poder!”

Uma dica legal da nossa amiga Jyulienne Oliveira: um pente metálico muito usado aqui na Alemanha e disponível no Brasil. Encontra-se nas farmácias para vender: www.zhalinger.com.br/

Aqui na Alemanha os pentes metálicos também estão disponíveis nas farmácias. 

Fonte: www.spiegelonline.de
Fotos: Ana Maria Müller